Câmara rejeita Titulo Honorário para Bonifácio Mourão, envolvido em corrupção

0
184

Bonifácio Mourão ladeado pelo vereador Cristiano e pelo prefeito Bizarro, seus apoiadores durante a campanha eleitoral

DEPOIS DE PERDER AS ELEIÇÕES PARA DEPUTADO, BONIFÁCIO MOURÃO PERDEU TAMBÉM O TITULO DE CIDADÃO HONORÁRIO DE FABRICIANO

FABRICIANO – Depois de muita discussão, o Projeto de Resolução de autoria do vereador Cristiano do Cais, que indicava o deputado estadual José Bonifácio Mourão (PSDB), para receber o título de cidadania honorário de Coronel Fabriciano foi rejeitado por 10 votos.  Os vereadores Adriano Martins, Luciano Lugão, Dr. Sandro, Nélio Abacaxi, Xingozinho, Marcos Luz, Thiago Lucas, Professor Edem, Canidia e Relé votaram contra. As abstenções foram dos vereadores  Carmem do Sinttrocel e Ronilson Burrinho;  Os votos favoráveis foram dos vereadores Cristiano do Cais, Miltinho do Sacolão, Beto Cavaleiro e Sargento Francisquini.

Durante os debates, os parlamentares que se posicionaram contra o PL da cidadania, argumentaram que o deputado José Bonifácio Mourão, em maio de 2006, foi denunciado na operação da Polícia Federal, que desmontou um dos maiores esquemas de corrupção envolvendo o Congresso Nacional e que acabou conhecido nacionalmente como a máfia dos sanguessugas

Os vereadores explicaram que de acordo com as investigações, deputados federais e senadores indicavam emendas para a compra de ambulâncias em troca de propina paga pela Planan, empresa do Mato Grosso, que, com outras fornecedoras de unidades móveis de saúde, comandava as fraudes, que se estenderam por 591 municípios do país.ENTENDA O CASO

Ministério Público Federal (MPF) ajuizou na 2ª Vara da Justiça Federal de Minas Gerais denúncia em que sustenta que o esquema de corrupção conhecido nacionalmente como escândalo dos sanguessugas alçou seus tentáculos além do Ministério da Saúde – onde teve origem, com desvios de verbas para compras de ambulâncias –, se estendendo também ao Ministério das Comunicações, à época comandado por Hélio Costa (PMDB). A investigação se baseou em depoimentos judiciais prestados pelo empresário Luiz Antônio Vedoin, dono da empresa Planan, pivô das denúncias do Ministério da Saúde. Além dele, figuram como réus da ação o deputado federal João Magalhães (PMDB); o ex-prefeito de Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, deputado estadual José Bonifácio Mourão (PSDB); e um servidor público da cidade, Fernando Antônio Pinto. (fonte: JBN)

Opinião do editor:

Leoncio Corrêa, jornalista

Fabriciano está passando por momentos interessantes na política. Assim como em vários outros segmentos, a inversão de valores se faz presente também aqui. Alguns vereadores, preferiram apoiar candidatos a deputado de outras regiões em detrimento dos candidatos locais. Muitas vezes as ofertas financeiras superaram os interesses dos políticos por sua própria cidade ou região. Um exemplo foi o deputado Bonifácio Mourão, cujo domicílio eleitoral é Governador Valadares. Mesmo assim foi apoiado abertamente pelo prefeito e alguns vereadores da cidade. Perdeu as eleições e, mesmo assim, o vereador Cristiano do Cais tentou amenizar a tristeza do deputado, ao apresentar uma indicação ao legislativo pedindo a aprovação de “Título Honorário” para o dito cujo deputado.

Com a eleição de Bolsonaro para Presidente e Zema para Governador de Minas a cantiga mudou. Acreditamos que acabou a era dos favores, dos troca troca e falcatruas. O Brasil e Minas Gerais serão governados por pessoas sérias e que, esperamos, não se envolvam em corrupção.

Estão de parabéns os vereadores da Câmara Municipal de Coronel Fabriciano que abortaram a homenagem a Mourão. Afinal de contas, chega de puxação de saco a políticos envolvidos em escândalos financeiros.

DEIXE UMA RESPOSTA