Começa campanha contra a poliomielite e o sarampo

0
25
Começa hoje em todos os postos de saúde do país a campanha nacional de vacinação contra a poliomielite e o sarampo. Até o dia 31, quando se encerra a mobilização, a expectativa do Ministério da Saúde é de vacinar 11,2 milhões de crianças em todo o Brasil. Todas os meninos e meninas de 1 a menores de 5 anos devem ser imunizados, independentemente do histórico vacinal. O objetivo é reduzir a possibilidade de retorno da pólio e reemergência de sarampo. Em Minas, de acordo com a pasta, pouco mais de 1 milhão de crianças são alvo da campanha. Para todo o estado, estão disponíveis quase 2,6 milhões de doses das duas vacinas.

Para a poliomielite, as crianças que não tomaram nenhuma dose durante a vida, receberão a injetável. Já os menores de cinco anos que já tiverem tomado uma ou mais doses da vacina, a receberão a gotinha. Em relação ao sarampo, todas as crianças receberão uma dose da vacina tríplice viral (que protege também contra rubéola e caxumba), desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias. A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, informou que vacinando desta forma se cria uma barreira sanitária e uma imunidade de grupo. Assim, mesmo que os vírus da pólio e sarampo entrem no país, se garante rapidamente que não encontrem uma fonte de infecção. Ela também ressalta que é uma oportunidade de corrigir falhas vacinas, uma vez que as crianças, por terem o sistema imunológico mais frágil, podem não responder imunologicamente à vacina.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), em Minas, no acumulado de 1997 a 2018, pouco mais da metade das crianças menores de 1 ano tomaram as três doses (65,66%). A estimativa é de 45.806 não vacinados com a terceira dose. A faixa etária de 4 anos é mais crítica: a cobertura vacinal desses pequenos, com as três doses, é de apenas 38,55%. Considerando todas as crianças menores de 4 anos, a cobertura chega a 71,31%, mas a estimativa é de que 354.282 não tomaram a terceira dose.

DEIXE UMA RESPOSTA