GARANTIA OU COMPROMISSO? DE QUE LADO ESTAMOS. por: Geraldo Paixão

0
61

Após seis dias de intensos ataques a ônibus em Minas Gerais, as autoridades já contabilizam 68 ônibus incendiados, com prejuízos irreparáveis às empresas de transporte, e à população que utiliza esses ônibus como meio de locomoção para suas atividades diárias. Por mais que se compreenda as necessidades e dificuldades das instituições de segurança, não é possível abdicar de ações concretas dessas mesmas instituições, para num menor tempo, prender os culpados e devolver à população a tranquilidade necessária para a sobrevivência.

É estranho que depois de seis dias de convivência com esses ataques, as instituições de segurança ainda não conseguiram sua interrupção com a prisão dos criminosos. Para o cidadão leigo, essa demora na solução do problema, representa um atestado de incompetência, como muitos outros, como a intervenção federal no Rio de Janeiro, que até o momento não apresentou nenhum resultado, o caso da vereadora Marielle, ainda sem solução e outros, Não é difícil imaginar de onde vêem esses ataques, provavelmente comandados por uma facção liderada por criminosos inescrupulosos, encarcerados, e sobre a qual as autoridades de segurança têem  todas as informações.

Quando qualquer benefício é compartilhado com o crime, a probalidade de impunidade é maior que a justiça, levando a uma falsa ilusão de compensação pela prática do crime. O foro privilegiado, prisão domiciliar, delação premiada, tornozeleira eletrônica e outros, são exemplos que têem facilitado a vida de muitos criminosos.

Saímos de uma greve histórica com os caminhoneiros, findo a qual foram assumidos vários compromissos pelo governo federal e grevistas. A inobservância de qualquer dos itens acordados, poderá aflorar uma nova ação dos grevistas. O que se espera neste caso, é que o acordo celebrado possa gerar uma solução definitiva, ou seja, não seja apenas mais uma ação sem resultado concreto para a população.

?

Geraldo Ferreira da Paixão   –   Pós-graduado em Docência no Ensino Superior pelo Centro Universitário do Leste de Minas Gerais – UNILESTE-MG (2005). Graduado em Engenharia Elétrica pelo Instituto de Tecnologia de Governador Valadares – MIT (1984). Graduado como engenheiro de Operação em Eletrônica Industrial pelo Instituo Católico de Minas Gerais – Coronel Fabriciano – MG (1979). Experiência profissional nas áreas de engenharia elétrica, eletrônica, instrumentação, automação, logística de suprimentos em empresas de grande porte, e como docente no ensino médio e superior.

E-mail: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA