Projeto piloto de prevenção às drogas já é executado em Ipatinga

0
233

Abordados por técnicos municipais apoiados por organismo estadual e Polícia Militar, dependentes são incentivados a buscar espontaneamente rede de assistência para tratamento do vício

O programa “Crack, É Possível Vencer”, que era executado nos municípios com o suporte da União, foi extinto e em seu lugar está sendo montada uma ação articulada e integrada de políticas sobre drogas capitaneada pelo Governo do Estado de Minas Gerais, cuja implantação foi iniciada nesta semana, em Ipatinga, como cidade piloto.

Como parte de uma ampla programação, várias ações já foram deflagradas nos últimos dias, visando reduzir a oferta de crack e outras drogas ilícitas. Alguns dos instrumentos utilizados são a repressão ao tráfico, abordagem e acolhimento dos dependentes químicos.

Como em todo o país e no Estado, a dependência química atinge inúmeras pessoas na cidade, penalizando também as famílias, onerando e ocupando o poder público em várias frentes. Assim é que o município está buscando incrementar novas políticas públicas de combate às drogas.

As ações desenvolvidas ao longo desta semana em Ipatinga contam ainda com apoio e presença da subsecretária de Políticas sobre Drogas da Secretaria de Estado de Segurança Pública, Patrícia Magalhães Rocha. Na tarde de terça-feira (24), ela se reuniu no Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS) com representantes dos organismos que formam a Rede Complementar de Suporte Social ao usuário em Ipatinga: Clínica Psicossocial (Clips), que é o serviço de urgência especializado em reabilitação psíquica e social; Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), Polícia Militar, assistentes sociais e outros.

 PROGRAMA DE ABORDAGEM

Como parte das ações integradas, foi iniciado o Programa de Abordagem Regionalizada (PAR), da Polícia Militar, com apoio das secretarias municipais de Assistência Social e de Saúde. A partir de agora, este procedimento passa a acontecer pelo menos uma vez a cada mês nos pontos habitualmente usados para consumo de crack no município. O objetivo é incentivar nos usuários a busca espontânea de tratamento do vício nos canais disponibilizados pela rede de assistência.

Algumas abordagens já ocorreram em conhecidos pontos locais de uso de crack: a região do final da rua Diamantina, no Centro, e ruas Serra do Mar e Serra Geral, no Jardim Panorama. Alguns dos abordados aceitaram a oferta de tratamento.

NOVA MOTIVAÇÃO

Segundo o comandante da 82ª Companhia de Polícia Militar, com base no Centro de Ipatinga, tenente Lyndon Johnson, apenas nos últimos seis meses, a PM catalogou cerca de 160 usuários de drogas. “Sabendo que podemos contar com a rede e com esta ação continuada, o trabalho fica mais produtivo”, avalia.  

A diretora do Departamento de Proteção Social Especial da Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Ipatinga, Cláudia Castro, acrescenta: “Para o bem de toda a sociedade, estamos empenhados em dar todo suporte para que o usuário possa ser libertado da dependência. O novo governo da cidade prioriza este trabalho e esperamos colher bons frutos a médio prazo. A partir de agora estamos organizando os técnicos de todos os serviços afins prestados pela prefeitura e que serão disponibilizados para que o usuário e seus familiares saibam onde encontrar ajuda”, adiantou.

DEIXE UMA RESPOSTA